O que torna os sonhos ousados é o fato serem realizáveis. Por causa da sua inabalável fé na força do trabalho que a professora Anésia Ferreira dos Santos um dia sonhou. Do ideal desta educadora  foi lançada a semente quando em 1995, fundou o Colégio São José. Outro passo foi dado em 2005 com a criação da Faculdade Quirinópolis (FAQUI) instituída pela Portaria Ministerial, N 4.272 de 21 de dezembro de 2004, mantida pela personalidade jurídica Sociedade Mestra de Educação e Cultura de Goiás Ltda.

A FAQUI iniciou suas atividades oferecendo o curso de Administração, conferindo aos formandos, o título de Bacharel em Administração. Mais tarde  conquista os cursos de Direito e Enfermagem Gestão Ambiental e tem como proposta continuar inserindo novos cursos, para melhor atender Quirinópolis e região.

Com o objetivo de construir uma história a favor da cidadania, visando o progresso e o desenvolvimento da comunidade goiana, a Faqui quer oferecer condições aos seus acadêmicos de tornaram-se profissionais, com formação técnica e valores éticos para a sua inserção no mercado de trabalho, e, sobretudo para pleno exercício de sua cidadania.

Nesta perspectiva a FAQUI adota como principio filosófico- pedagógico a concepção de educação de Jacques Delores: “À educação cabe fornecer, de algum modo, os mapas de um mundo complexo e constantemente agitado e, ao mesmo tempo, a bússola que permite navegar através dele”. (O livro Educação: um Tesouro a Descobrir, página 89).

A FAQUI adota ainda a proposta dos quatro pilares da educação para o século XXI, pois segundo Delors a prática pedagógica deve preocupar-se em desenvolver quatro aprendizagens fundamentais, que serão para cada indivíduo os pilares do conhecimento: aprender a conhecer indica o interesse, a abertura para o conhecimento, que verdadeiramente liberta da ignorância; aprender a fazer mostra a coragem de executar, de correr riscos, de errar mesmo na busca de acertar; aprender a conviver traz o desafio da convivência que apresenta o respeito a todos e o exercício de fraternidade como caminho do entendimento; e, finalmente, aprender a ser, que, talvez, seja o mais importante por explicitar o papel do cidadão e o objetivo de viver.

O que faz a diferença?

A FAQUI promove o pensar, mostra-se dinâmica, cheia de vida na busca de renovação e aperfeiçoamento com esperança de que todos estejam sonhando juntos. E mais tarde, lembranças virão à memória: os que lançaram semente, os que prepararam o caminho, os que construíram o trabalho, em fim, todos os que por aqui passaram nos remetem a Guimarães Rosa, quando afirma:

“A vida é um mutirão de toda, por todos temperada”.